Notícias

Na Mídia

31 de julho de 2019

  • Kasznar Leonardos

Evento ensina a formalizar negócio: encontro dará dicas para o empreendedor estruturar a própria empresa e se manter ativo no mercado

O projeto "A Arte Gerando Renda", da ONG Favela Mundo, realiza amanhã duas palestras gratuitas para ajudar empreendedores da Rocinha a abrir ou formalizar o próprio negócio. O evento será no Cras Rinaldo de Lamare (Avenida Niemeyer, 776, 18º andar), às 14h, com inscrições no local.
Felipe Monteiro, diretor de startups e inovação do escritório Kasznar Leonardos, irá abordar aspectos jurídicos e de mercado que devem ser observados na hora de abrir uma empresa.
"Em primeiro lugar, é preciso escolher um negócio com o qual o empreendedor tenha afinidade e buscar um diferencial em relação à concorrência. Procurar entender o mercado em que está se inserindo e proteger a marca, a tecnologia desenvolvida e os serviços realizados também são etapas importantes do processo", diz Felipe Monteiro, que chama atenção, ainda, para a necessidade de separar as contas pessoais e da empresa.
Segundo Felipe Monteiro, a recomendação é ingressar no mercado como Microempreendedor Individual (MEI), pois a modalidade fornece ao empreendedor iniciante um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), o que permite a emissão de notas fiscais.
"É preciso formalizar o negócio para garantir benefícios, como a Previdência. Além disso, boa parte dos clientes só vai contratar o profissional que emite nota fiscal", explica Felipe Monteiro.
Já Clarissa Frossard, gerente de RH do escritório Kasznar Leonardos, dará dicas sobre como se preparar para o mercado de trabalho. "Uma vez dentro dele, o mais importante é se manter atualizado. É preciso buscar especializações para se reinventar quando for preciso e nunca se acomodar", diz Clarissa Frossard.
As palestras são realizadas periodicamente e surgiram para orientar jovens e adultos que se formam nas turmas de capacitação do projeto "A Arte Gerando Renda". Atualmente, há aulas nos cursos de Fantasias e Adereços, Maquiagem Social, Maquiagem Artística, Unhas Decoradas, Artesanato, Turbantes e Tranças Afro. Os alunos recebem certificados e são indicados para atuar em escolas de samba e no teatro. "Muitos alunos se formam e começam a empreender, mas percebemos que há muitas dúvidas sobre MEI e formalização em geral", diz Marcelo Andriotti, diretor da ONG Favela Mundo.
 
Fonte: O Dia (versão impressa de 31/07/19)
Voltar

Últimas notícias relacionadas

10 de novembro de 2022

Confira os cuidados para não burlar regras de Propriedade Intelectual na Copa do Mundo

Os anos de Copa de Mundo fazem brilhar os olhos de vendedores que buscam alavancar as vendas inspirados na competição. No entanto, Confira os cuidados para não burlar regras de Propriedade Intelectual na Copa do Mundo

Ler notícia

9 de novembro de 2022

Os desafios do Marco Legal das Startups

Analisando os desafios fiscais, trabalhistas e as perspectivas e oportunidades geradas pelo Marco Legal das Startups no Brasil, nosso sócio e Head Os desafios do Marco Legal das Startups

Ler notícia

9 de novembro de 2022

Biblioteca Nacional: digitalização facilita registro para autores

Em entrevista ao portal Agência Brasil, nossa sócia e Head do Departamento de Marketing & Entertainment Law, Fernanda Magalhães discutiu os impactos positivos da Biblioteca Nacional: digitalização facilita registro para autores

Ler notícia