Notícias

Artigos

20 de dezembro de 2019

Monitoramento de Vacinas contra Arboviroses através de Documentos Patentários

A carta patente é um documento emitido, por meio de um pedido feito por um Requerente, por um órgão governamental (no Brasil, pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI) que atua em um ou mais países ou regiões (por exemplo, na Europa, pelo European Patent Office – EPO), o qual descreve detalhadamente uma invenção e fornece uma proteção judicial sobre esta, na qual a invenção patenteada pode ser explorada (no sentido de sua produção, utilização e venda) pelo proprietário do documento da patente por um tempo limitado, dando o direito de impedir que terceiros usem, produzam ou vendam a invenção patenteada (WIPO, 2008).
De modo geral, a invenção propriamente dita tem sua origem geralmente quando um inventor prossegue com o desenvolvimento de sua pesquisa de base rotineira e, em determinado momento, essa pesquisa supostamente atravessa a barreira do conhecimento comum, de forma intencional ou esporádica. Dada a aplicação industrial, novidade e atividade inventiva em relação ao que já é de conhecimento público, seja em documentos de patentes ou na literatura não patentária, e contanto que não esteja dentro das proibições das leis vigentes, esse inventor possui uma invenção passível de patenteamento. É possível afirmar que todo pesquisador é, potencialmente, um inventor. As pesquisas realizadas, mesmo que teóricas, podem ter aplicações práticas, que dependerão dos passos seguidos pelo inventor para virem a se tornar uma invenção patenteável (WOLFF, 1997).
 
O objetivo do presente estudo é demonstrar como o desenvolvimento científico e o depósito de patentes estão fortemente relacionados, evidenciando os rumos que a pesquisa científica em uma determinada área leva ao longo dos anos através da busca e análises de pedidos de patentes, tanto pendentes quanto indeferidos e concedidos.
 
Clique abaixo para acessar o artigo de autoria de Gabriel Cavalcante na Revisa da ABPI.
 
Voltar

Últimas notícias relacionadas

15 de agosto de 2022

CPI da Pirataria combate comercialização de produtos ilegais

O comércio de produtos ilegais (piratas e contrabandeados) é uma das principais fontes de arrecadação do crime organizado no país. Além de CPI da Pirataria combate comercialização de produtos ilegais

Ler notícia

15 de agosto de 2022

Responsabilidade civil do empregador decorrente do uso indevido de software

Nosso sócio Rafael Lacaz Amaral e os colaboradores Victor André dos Santos e e Rodrigo da Rosa trataram, em artigo publicado no Responsabilidade civil do empregador decorrente do uso indevido de software

Ler notícia

15 de agosto de 2022

Pirataria no Metaverso: violação de direito autoral e de dados pessoais

Nossos advogados Francisco Martini e Fernanda Polloto avaliaram, em artigo publicado no Migalhas, os efeitos da quarta fase da Operação 404, deflagrada Pirataria no Metaverso: violação de direito autoral e de dados pessoais

Ler notícia