Notícias

Newsletter

ANPD publica seu regimento interno

Publicada no DOU em 09 de março de 2021, a Portaria nº 01 estipula o regimento interno da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), definindo as competências das unidades organizacionais, os procedimentos e os instrumentos para tomadas de decisão do órgão.
Conforme a própria Lei nº 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD), a estrutura organizacional da ANPD é composta pelo Conselho Diretor e seu órgão consultivo, o Conselho Nacional de Proteção de Dados e Privacidade. A Portaria aproveita para detalhar a existência de órgãos internos de coordenação, ouvidoria e assessoria jurídica. Lembrando que o Conselho Diretor é o órgão máximo de direção da ANPD, composto por cinco Diretores. O regimento também estipula a figura do Gerente de Projeto, que será diretamente subordinado a cada Diretor. 
A Portaria determina ainda que as decisões do Conselho Diretor deverão ser tomadas em Reuniões Deliberativas ou Circuitos Deliberativos, por maioria simples, estando presente a maioria absoluta de seus membros. Conforme disposto pelo regimento, o Conselho Diretor fará pelo menos uma Reunião Deliberativa ao mês, de forma presencial ou por videoconferência, para analisar os processos que tramitam na ANPD. As reuniões serão públicas, exceto quando a publicidade ampla puder violar sigilo protegido por lei ou a intimidade e privacidade de alguém, caso este que a divulgação será restrita às partes e seus procuradores.
Dentre as competências do Conselho, destacam-se:
 
(i) a edição de regulamentos e procedimentos, inclusive acerca dos relatórios de impacto;
(ii) a indicação de padrões técnicos mínimos a serem aplicados em processos de anonimização e como medidas de segurança;
(iii) a definição do conteúdo de cláusulas-padrão contratuais, bem como a verificação de cláusulas contratuais específicas para uma determinada transferência internacional, normas corporativas globais, certificados e códigos de conduta;
(iv) a deliberação quanto a requerimentos sobre níveis de proteção de dados pessoais de outros países; e
(v) a revisão de sanções aplicadas pela Coordenação-Geral de Fiscalização.
Quanto aos prazos, o regimento prevê pedido de vistas de 30 (trinta) dias, prorrogável por mais 30 a cada conselheiro. A tramitação do Circuito Deliberativo deverá ocorrer de sete (07) a trinta (30) dias.
A ANPD terá ainda uma Secretaria Geral, uma Coordenação Geral de Administração e uma Coordenação Geral de Relações Institucionais e Internacionais. Além disso, ficam criados e estabelecidas as funções da Corregedoria, a Ouvidoria e a Assessoria Jurídica, a Coordenação Geral de Normatização e a Coordenação Geral de Tecnologia e Pesquisa.
Dentre os departamentos criados, está a Coordenação Geral de Fiscalização, cujas competências são:
 
(i) proferir decisão em primeira instância nos processos administrativos sancionadores da ANPD;
(ii) requisitar aos agentes de tratamento de dados a apresentação de Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais;
(iii) receber as notificações de ocorrência de incidentes de segurança;
(iv) realizar auditorias, ou determinar sua realização, no âmbito das atividades de fiscalização; e
(v) comunicar às autoridades competentes as infrações penais das quais tiver conhecimento.
No que tange à revisão das decisões da ANPD, a instância máxima de recurso, nas matérias submetidas à alçada da Autoridade, é o Conselho Diretor. Das decisões da ANPD proferidas quando o Conselho Diretor funcionar como instância única, caberá pedido de reconsideração, devidamente fundamentado.
Por fim, o regimento define procedimentos administrativos, como a tomada de decisões do órgão, bem como sobre procedimentos referentes a audiências e consultas públicas, a edição de atos normativos, de interpretações legais e fixação de entendimentos sobre matérias relacionadas à proteção de dados pessoais.
Caso haja interesse em saber mais detalhes sobre as funções e funcionamento da ANPD, nossa equipe de Direito Digital está à disposição em digital@kasznarleonardos.com
 
Voltar

Últimas notícias relacionadas

22 de novembro de 2021

Kasznar Leonardos recebe selo internacional de qualidade ISO 9001

Certificação reconhece nossa eficiência operacional, com foco na excelência no atendimento ao cliente e na melhoria contínua dos nossos processos de trabalho Kasznar Leonardos recebe selo internacional de qualidade ISO 9001

  • Kasznar Leonardos
  • Ler notícia

    12 de novembro de 2021

    INPI reconhece o Direito de Precedência como argumento para interposição de Nulidades Administrativas

    Por Flávia Tremura e Isabella Faccioli A partir deste mês de novembro o INPI passa a aceitar o direito de precedência de INPI reconhece o Direito de Precedência como argumento para interposição de Nulidades Administrativas

  • Kasznar Leonardos
  • Ler notícia

    10 de setembro de 2021

    STF reafirma a incidência do ISS sobre os contratos de franquia

    O Supremo Tribunal Federal, em sessão de julgamento ocorrida em 27.08.2021, rejeitou, de forma unânime, a modulação de efeitos da decisão que STF reafirma a incidência do ISS sobre os contratos de franquia

    Ler notícia