Notícias

Artigos

Patentes, padrões tecnológicos e licenças – uma análise pela teoria dos jogos

As patentes buscam proteger algo que soluciona um problema técnico. Por si só, já seriam importantes não apenas para seu titular, mas também para a coletividade.
 
No entanto, certas patentes vão além desses benefícios: são essenciais para a implementação de um padrão tecnológico adotado obrigatoriamente pela sociedade para a viabilidade técnica de uma solução. Basta imaginar se cada fabricante de aparelho celular ou operadora de telefonia desenvolvesse seu próprio padrão de comunicação e não existisse uma interoperabilidade entre sistemas. Adotando como exemplo a perspectiva do 5G como o propulsor da Internet das Coisas, existem determinadas invenções essenciais para que os dispositivos efetivamente conversem de forma satisfatória entre eles.
Tanto o padrão tecnológico em si quanto as patentes essenciais para sua implementação deveriam ser definidos pelas instituições e empresas que atuam no setor de aplicação dessas tecnologias. No entanto, setores disruptivos e inovadores são uma tentação para determinados participantes do mercado passarem a adotar certas condutas unilaterais, as quais podem se demonstrar abusivas.
 
Para ler o artigo completo, acesse o site do JOTA.
Voltar

Últimas notícias relacionadas

15 de agosto de 2022

CPI da Pirataria combate comercialização de produtos ilegais

O comércio de produtos ilegais (piratas e contrabandeados) é uma das principais fontes de arrecadação do crime organizado no país. Além de CPI da Pirataria combate comercialização de produtos ilegais

Ler notícia

15 de agosto de 2022

Responsabilidade civil do empregador decorrente do uso indevido de software

Nosso sócio Rafael Lacaz Amaral e os colaboradores Victor André dos Santos e e Rodrigo da Rosa trataram, em artigo publicado no Responsabilidade civil do empregador decorrente do uso indevido de software

Ler notícia

15 de agosto de 2022

Pirataria no Metaverso: violação de direito autoral e de dados pessoais

Nossos advogados Francisco Martini e Fernanda Polloto avaliaram, em artigo publicado no Migalhas, os efeitos da quarta fase da Operação 404, deflagrada Pirataria no Metaverso: violação de direito autoral e de dados pessoais

Ler notícia